Greve dos professores da rede estadual continua
29/03/2017 17:48 em Notícias

Greve dos professores da rede estadual continua

 
Continua por tempo indeterminado, a greve dos professores, servidores da educação. A categoria, realizou junto com trabalhadores de diferentes categorias, uma manifestação contra a reforma da previdência, na região central de Belo Horizonte, na tarde desta terça-feira. Educadores de Arcos estiveram presentes no ato que teve início na Assembleia Legislativa, onde o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE), realizou uma assembleia da categoria, onde foi definida a manutenção da greve que teve início no dia 8 de março.
 
O protesto passou pela rua Rodrigues Caldas, seguindo para as avenidas Olegário Maciel e Amazonas, indo até a praça Sete, onde outras categorias se juntaram ao ato. Os manifestantes permaneceram na praça Sete por aproximadamente uma hora. Em seguida eles seguiram até a praça da Estação. O trânsito na Andradas foi interrompido apenas para a passagem dos manifestantes, que liberaram o trânsito ao chegarem na praça, o que ocorreu às 17h55. A BHTrans acompanhou o ato, mesmo assim o protesto provocou grande lentidão na área central.
 
De acordo com o Sind-UTE, 10 mil pessoas participaram da assembleia em Belo Horizonte. Na capital, atualmente, 65% dos professores aderiram ao movimento grevista, que atinge todo o estado.
 
A coordenadora geral do Sind-Ute, Beatriz Cerqueira, comemorou a mobilização. "Minas Gerais continua em greve contra a Reforma da Previdência. Esta é uma agenda nacional e faz parte de uma greve nacional da educação. No caso de Minas também lutamos para que o governo cumpra acordo assinado em 2015", conta.
 
Durante a assembleia, foram avaliadas as negociações com o governo do estado, que ainda não cumpriu o acordo do piso salarial e carreira firmados com o governo e cobrando novas nomeações e concurso púbico para o setor.
 
Professores municipais vão encerrar greve
Os professores da rede municipal, entretanto, decidiram interromper a paralisação e retomar as atividades na próxima segunda-feira (3). A paralisação teve início no dia 16 deste mês, um dia depois da manifestação contra a reforma da previdência realizada em Belo Horizonte.
 
"Acreditamos que cumprimos um papel importante de mobilizar os outros setores para além da educação, esclarecendo do que realmente se trata e como afetará a reforma da previdência para todos os trabalhadores. No dia 27 de abril, retomaremos o movimento junto a outros sindicatos para uma paralisação geral do dia 28", explicou o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (Sind-Rede), Wanderson Rocha. 
 

Fonte: Portal Arcos

COMENTÁRIOS