Balas 'recheadas' com chumbinho envenenam crianças
27/04/2017 - 14h49 em Tecnologia

Balas 'recheadas' com chumbinho envenenam crianças

 
Duas crianças, uma de 3 anos e outra de 8, foram envenenadas na tarde desta quarta-feira (26), em Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, depois de consumirem balas com o agrotóxico aldicarbe, conhecido popularmente como chumbinho, utilizado de forma irregular no país como raticida doméstico. O produto foi banido do mercado brasileiro em 2012 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
De acordo com a Polícia Militar (PM), os meninos estavam a caminho da escola quando uma pessoa desconhecida entregou a elas três balas repletas de chumbinho.
 
Cada criança consumiu um doce. Intoxicadas, elas começaram a apresentar alguns sintomas como náuseas, vômito, dor abdominal, tremores e taquicardia e foram encaminhadas pelo pai e pelo padastro para o Pronto Socorro Municipal de Monte Carmelo.
A PM informou que a criança mais velha está bem, mas continua em observação. A outra, mais nova, foi encaminhada para um hospital em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Ainda conforme a polícia, ela também está estável e deve ser liberada em breve.
 
Baleia azul
Nas redes sociais, moradores de Montes Carmelo acreditam que o envenenamento dos meninos pode ter relação com o “jogo da baleia azul”. Um dos desafios consistiria em oferecer balas envenenadas a crianças. A PM, no entanto, não confirma a informação.
A reportagem tentou contatou com a Polícia Civil de Monte Carmelo na noite desta quarta, mas as ligações não foram atendidas.
 
No dia 18 deste mês, um boato de que crianças de Ipanema, na região do Rio Doce, seriam envenenadas com balas recheadas de chumbinho assustou a população do município.
Uma mensagem de um suposto jogador do “baleia azul”, que circulou nas redes sociais, dizia que 30 crianças de três escolas diferentes de Ipanema receberiam as balas envenenadas.
"Oi me chamo Lucas e estou no desafio da baleia azul. Moro na cidade de Ipanema MG e estou no décimo desafio que é dar balas envenenadas pra 30 crianças de 3 escolas diferentes. Peço desculpas às mães, mas tenho que cumprir ou eles vem atrás de mim. Sinto muito pelo filho de vocês. Desafio aceito", afirmava o texto.
 
A PM do município considerou a mensagem um boato. Entretanto, por precaução, a corporação comunicou as escolas sobre o caso e os professores orientaram os alunos a não aceitar balas oferecidas por estranhos. Além disso, o policiamento foi reforçado nos horários de aula das instituições de ensino da cidade. 
 

Fonte: G1 Notícias

COMENTÁRIOS